Descaso em Rio Grande

Desta vez o SINDIÁGUA tentará comentar o mínimo possível, vamos publicar os fatos e deixar a critério de cada um fazer o julgamento da atual administração da Companhia na Região Sul.

O fato agora se dá com dois caminhões da empresa. Um em ótimo estado. Sempre foi bem cuidado pelos seus motoristas, Agrale eixo duplo traseiro, dos bons, está sendo depredado dentro da ETE Parque Marinha. Tiraram bateria, banco, etc.

Mas este não é um caso único, tem um caminhão nosso, com logotipo, abandonado dentro de uma fábrica em ruínas há mais de um ano e meio.

Agora, passado todo este tempo, a parte mecânica deve estar toda comprometida, mas, e o que fala a população que passa por lá? Quanto sairá o preço para arrumar este veículo? E se a população soubesse que pagamos caro o aluguel de viaturas terceirizadas? E se a direção da Companhia resolvesse agir e cobrar dos responsáveis locais?

Solicitamos publicamente que a direção aplique em Rio Grande a cláusula de nosso Acordo Coletivo que prevê o dolo em veículos. Veremos se realmente há por parte da direção a intenção de moralizar a questão de viaturas, haja visto que essa cláusula foi sugestão da empresa. Nos resta saber se os chefes também serão cobrados, ou se só os peões pagarão a conta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

11 − nove =