14º CECUT debateu desmonte do serviço público e unidade sindical

A situação do Rio Grande do Sul e o enfrentamento do movimento sindical à precarização do Rio Grande do Sul foram os temas de um dos painéis durante o 14º Congresso Estadual da CUT (CECUT), realizado nos dias 21 e 22 de agosto, em Porto Alegre. Evento que contou com a participação do SINDIÁGUA.

O presidente do AFOCEFE Sindicato, Carlos De Martini Duarte, abordou a situação econômica do Estado. Contou que em apenas sete ocasiões o RS arrecadou mais do que gastou, fora isso, “seguimos estável na UTI.” De Martini afirmou que o estado gaúcho tem uma das piores arrecadação por ICMS do Brasil e estima-se que apenas em 2014, a sonegação do ICMS foi de 27,6%. “Também é preciso falar sobre a isenção fiscal, nem o Tribunal de Contas sabe quem são as empresas beneficiadas”, afirmou.

Foto: CUT/RS

A presidenta do CPERS/Sindicato, Helenir Oliveira falou sobre a difícil situação dos servidores públicos com o governo Sartori. “Estamos numa greve histórica com todos os sindicatos de servidores e nós não vamos apanhar porque a polícia está do nosso lado, em greve.” Para Helenir, este é o momento de discutir o financiamento público de campanha. “Fazer esse debate é dizer que queremos políticos eleitos com liberdade para ouvir o povo que o elegeu e não quem financiou sua campanha”, finalizou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois + quatro =