Atividade no SITEL marca o Dia Nacional de Luta Contra Exposição ao Benzeno

O dia 5 de outubro tornou-se, em todo o país, o Dia Nacional de Luta Contra a Exposição ao Benzeno. A data é também uma homenagem ao companheiro Roberto Krappa, operador da RPBC, que morreu em 5 de outubro de 2004, vítima de leucemia mieloide aguda, em decorrência da alta exposição à substância benzeno.

O problema relacionado ao benzeno, embora seja uma demanda antiga, ainda carece de soluções concretas, principalmente por parte das empresas. Diante disso, é evidente a necessidade de que os trabalhadores abracem a luta contra a exposição ao benzeno como prioritária e transforme o dia 5 de outubro em um dia de luta contra as investidas do capital em sobrepor o lucro à saúde e à segurança do trabalhador.

 

 

Nesta quarta-feira o SINDIÁGUA reuniu-se com os trabalhadores do SITEL para um momento de reflexão e debate sobre esse importante tema.

Origem da data
No dia 5 de outubro de 2004, por ter trabalhado exposto ao benzeno faleceu o técnico de operações da refinaria Presidente Bernardes, de Cuba tão (RPBC), Roberto Viegas Kappra. Kappra tinha somente 36 anos e faleceu vítima de leucemia mieloide aguda, deixando esposa e dois filhos. A perda deste companheiro, deu-se em um prazo muito curto, pois entre o diagnóstico e o óbito passaram-se somente 22 dias.

Recordando esse companheiro que nos deixou muito cedo, o dia 5 de outubro passa a ser uma data para reflexões a respeito das nossas exposições ao cancerígeno benzeno e as respectivas respostas que cada empresa cadastrada para uso deste produto emprega no cumprimento do Acordo e Legislação em seus meio ambientes do trabalho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

19 − 6 =