Veja como votaram os deputados gaúchos sobre o projeto da terceirização irrestrita

A maioria dos deputados federais do Rio Grande do Sul votou contra o projeto da terceirização irrestrita, aprovada na calada da noite desta quarta-feira (22) na Câmara dos Deputados. Foram 15 votos contrários e 11 votos favoráveis.

Na votação do PL 4302/98  teve 231 deputados favoráveis, 188 contrários, além de oito abstenções. Além da liberação de terceirizados na atividade-fim, foi ampliado para até nove meses o período de trabalho temporário. Anteriormente, eram três meses.

A proposta aprovada foi apoiada pelos federações empresariais, que financiaram o golpe que derrubou a presidenta Dilma Rousseff para retirar direitos dos trabalhadores e aumentar os seus lucros.

“Os deputados que votaram a favor da terceirização irrestrita não terão sossego”, reafirma o presidente da CUT-RS, Claudir Nespolo. “Vamos denunciá-los em todos os cantos do Estado para a população, uma vez que são devoradores dos direitos dos trabalhadores. Eles têm que ser varridos pelo povo nas eleições de 2018”.

Para Claudir, “o PL 4302/98 é mais um golpe contra a classe trabalhadora, acaba com o emprego decente e joga no lixo a CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) e os direitos trabalhistas”.

Veja como votaram os deputados gaúchos:

Afonso Hamm (PP) – Não

Afonso Motta (PDT) – Não

Alceu Moreira (PMDB) – Sim

Assis Melo (PCdoB) – Não

Bohn Gass (PT) – Não

Cajar Nardes (PR) – Sim

Carlos Gomes (PRB) – Sim

Danrlei de Deus Hinterholz (PSD) – Sim

Darcísio Perondi (PMDB) – Sim

Henrique Fontana (PT) – Não

Jerônimo Goergen (PP) – Sim

João Derly (Rede) – Não

Jones Martins (PMDB) – Sim

José Fogaça (PMDB) Não

Jose Stédile (PSB) – Não

Luis Carlos Heinze (PP) – Sim

Marco Maia (PT) – Não

Marcon (PT) – Não

Maria do Rosário (PT) – Não

Mauro Pereira (PMDB) – Sim

Paulo Pimenta (PT) – Não

Pepe Vargas (PT) – Não

Pompeo de Mattos (PDT) – Não

Renato Molling (PP) – Sim

Sérgio Moraes (PTB) – Não

Yeda Crusius (PSDB) – Sim


Com informações de Correio do Povo e CUT-RS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

19 − três =