Reunião de mediação no TRT – Banco de Horas Negativo

Na manhã desta segunda-feira (22/06),  foi realizada mais uma  reunião de mediação no Tribunal do Trabalho que  trata do banco de horas negativo que a Corsan deseja implementar aos funcionários que fazem parte do grupo de risco e não se enquadram em tele trabalho.  A proposta inicial da Companhia era que os trabalhadores compensassem os dias “não trabalhados” em 2 horas diárias em um período de 18 meses. Será que a Corsan consegue não culpabilizar os trabalhadores (as), por se encontrarem nesta situação, na qual ninguém gostaria de estar?

Pois bem, o SINDIÁGUA/RS reafirma que não existe a menor possibilidade de realizar um acordo com a Companhia nestes moldes. Durante duas semanas realizamos reuniões online regionalizadas com os funcionários pertencentes a este quadro, onde todos puderam explanar as problemáticas de cada região para assim, poder soluciona-las onde todos possam se beneficiar, entre tanto, as chefias e os demais colegas também devem colaborar.

Como de costume, o descaso da Companhia com seus trabalhadores (as), acaba se salientando mais uma vez, pois a mesma  diz não ter levado adiante as tratativas internas sobre a mediação que  ela mesmo propôs, por não ter  contraproposta dos sindicatos para poder avaliar.  No entanto agiu por contra própria.  Como a proposta era para ser discutida na reunião de hoje, claramente a Companhia não confiou na Mediação e nas entidades representativas.

Após manifestarmos nossa reprovação sobre as atitudes da Companhia de “furar” a negociação a Corsan se comprometeu mais uma vez, através de sua assessoria jurídica que no período de negociações não pressionaria os trabalhadores do grupo de risco ou sem a possibilidade de tele trabalho, (atitude completamente irresponsável), a voltarem a suas atividades e também a nenhuma outra atitude, como por exemplo, a obrigatoriedade de novas férias.

Foram discutidas novas alternativas, que serão avaliadas pelos sindicatos e a Companhia e discutidas novamente após a reavaliação mais efetiva da lista de trabalhadores (as), do grupo de risco. A Corsan terá um até o dia 29/06 para apresentar uma nova lista aos sindicatos e ao Tribunal do Trabalho.

Ressaltamos que SINDIÁGUA/RS, repudia a postura da Companhia em adotar quaisquer medidas de pressão paralela à mediação para que os trabalhadores(as) pertencentes ao grupo de risco voltem ao trabalho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 × cinco =