Entidades pedem que Leite imponha lockdown para conter explosão da covid-19 no RS

Em ofício encaminhado ao governador Eduardo Leite nesta quarta-feira (24), a Associação Juízes para a Democracia e dezenas de entidades que subscrevem o documento pedem a adoção imediata de medidas sanitárias para conter o avanço do coronavírus no Rio Grande do Sul. No documento, a entidade defende que, para o combate efetivo à disseminação do vírus, o governo deveria implementar um bloqueio total de atividades por ao menos 15 dias.

“A Associação Juízes para a Democracia (AJD), por seu núcleo gaúcho, juntamente com as entidades abaixo descritas, vem REQUERER a imediata adoção de medida sanitária restritiva eficiente, para o efetivo combate à disseminação da pandemia da COVID 19, através do bloqueio total das atividades (lockdown) pelo período de pelo menos 15 (quinze) dias, em todo o Estado do Rio Grande do Sul”, diz o ofício.

A entidade destaca que, no último domingo (21), o Sindicato dos Hospitais e Clínicas de Porto Alegre (Sindihospa) e mais sete instituições assinaram e divulgaram documento direcionado ao governo de Estado pedindo a aplicação de medidas mais restritivas.

“Estamos diante de uma situação de alto risco a toda a coletividade. Um cenário que exige, para os próximos dias, decisões duras mas necessárias, a fim preservar o bem maior: a vida. A situação atual de lotação nos hospitais é a pior desde o início da pandemia. Os doentes, de todas as idades, chegam em condições cada vez mais críticas, inclusive aqueles que internam em enfermarias. Muitos destes têm necessitado de equipamentos de ventilação mecânica — itens não disponíveis em quantidade necessária”, diz a manifestação do Sindihospa, citada pela AJD.

Afirma também que o cientista e professor da Universidade de Duke (EUA), Miguel Nicolelis, que tem se destacado em orientação e consultoria sobre o enfrentamento da pandemia em nove Estados do nordeste brasileiro, afirma que “ou o país entra num lockdown nacional imediatamente, ou não daremos conta de enterrar os nossos mortos em 2021”.

Diante desse cenário, cobra a adoção de medidas mais restritivas como urgentes e necessárias. “Omitir-se em um momento como esse implicará sem dúvida responsabilidade não apenas da perspectiva política e jurídica, mas sobretudo da perspectiva histórica”, diz a AJD.

O ofício é assinado pela juíza trabalhista Valdete Souto Severo, presidente da AJD, e subscrito pelas entidades:

ABMCJ – Associação Brasileira de Mulheres de Carreira Jurídica – comissão RS

Abong – Associação Brasileira de ONGS

ABRATO – Associação Brasileira dos Terapeutas Ocupacionais

ABREA/RS – Associação Brasileira de Expostos ao Amianto do Rio Grande do Sul

ADJC-RS – Advogadas e Advogados pela Democracia, Justiça e Cidadania-RS

AGETRA – Associação dos Advogados Trabalhistas

AJURD – Associação de Juristas pela Democracia

ANDES – Sindicato Nacional dos docentes das Instituições de Ensino Superior

ABET – Associação Brasileira de Estudos do Trabalho

Associação dos Supervisores de Educação do Estado do Rio Grande do Sul (RS)

ASSUFRGS – Associação dos Servidores da UFRGS

Camp – Escola de Cidadania

CEC-RS – Conselho Estadual de Cultura

Centro Brasileiro de Estudos da Saúde – CEBES/RS

Coletivo A Cidade que Queremos

Coletivo ATUA POA – pelo direito à cidade de todos nós

Coletivo de Comunicação e Produção Cultural Ltda – Catarse

Coletivo ProsperArte

COMDIM POA – Conselho Municipal dos Direitos da Mulher

Comitê em Defesa da Democracia e do Estado Democrático de Direito

CONSEA – Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável do RS

Conselho Municipal de Direitos Humanos de Porto Alegre

Conselho Municipal de Saúde de Porto Alegre

Conselho Regional de Fonoaudiologia

Conselho Regional de Psicologia RS

Conselho Regional de Serviço Social do Rio Grande do Sul – CRESS 10ª Região

Fórum Acidentes de Trabalho

Forum de Mulheres do Mercosul

Fórum ONG AIDS RS

Fórum Sindical e Popular de Saúde e Segurança do Trabalhador e da Trabalhadora de Minas Gerais

Frente Ampla em Defesa da Saúde dos Trabalhadores

Frente Nacional Ampliada da Saúde Mental, da Reforma Psiquiátrica e da Luta Antimanicomial.

IAB – Instituto de Arquitetos do Brasil Departamento RS

IDhES – Instituto de Direitos Humanos, Econômico e Social

ITD – Instituto trabalho digno

Marcha Mundial das Mulheres RS

Margem-Laboratório de narrativas urbanas/PROPUR/UFRGS

MATI – Movimento dos Advogados Trabalhistas

MCT-PDT/RS Movimento Comunitario Trabalhista do PDT RS.

Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favelas

Movimento Mães e Pais pela Democracia

NÚCLEO do Fórum Municipal dos Conselhos da Cidade de Porto Alegre

ONG TAŨGI

SASERS – Sindicato dos Assistentes Sociais no RS

SEMAPI Sindicato

SERGS – Sindicato dos Enfermeiros do Estado do RS

SINDIÁGUA/RS

SINDAERGS – Sindicato dos Administradores no Estado do Rio Grande do Sul

SINDISAÚDE – Sindicato dos Profissionais de Enfermagem, Técnicos, Duchistas, Massagistas e Empregados em Hospitais e Casas de Saúde do Estado do Rio Grande do Sul

SINTTEL RS – Sindicato dos Telefônicos

SISERGS – Sindicato das Secretárias e Secretários no Estado do Rio Grande do Sul.

 

Fonte: Sul 21 – Matéria publicada  em 24/02/2021

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco × 5 =