Nova diretoria assume reafirmando luta para manter a Corsan pública

“Vamos anular o leilão” reafirmou Arilson Wünsch, reconduzido à presidência com 77% dos votos da categoria para uma gestão de quatro anos

A nova diretoria do Sindicato dos trabalhadores e trabalhadoras das Indústrias de Purificação e Distribuição de Água e Serviços de Esgoto do RS (Sindiágua/RS) tomou posse nesta segunda-feira (02/10) durante reunião em Porto Alegre.  O atual presidente, Arilson Wünsch, foi reconduzido ao cargo para uma gestão de quatro anos. A chapa vencedora alcançou 77% dos votos nas eleições de novembro.

“Vamos derrubar o leilão da Corsan, manter a água pública e defender os direitos da categoria”, resumiu o dirigente diante dos integrantes da diretoria que teve renovação de 17 membros de um total de 36. Quatro liminares mantêm a estatal pública, mesmo com o leilão realizado em 20 de dezembro.

Os integrantes da diretoria estão reunidos até esta terça-feira (3/1) para as atividades de planejamento de gestão e registraram a unidade da categoria. “Somos multiplicadores ambientais e temos orgulho de gerar água de qualidade para os gaúchos. Temos uma mobilização muito potente e vamos vencer essa batalha”, registrou a dirigente Franciele Facchini. “Estamos defendendo a saúde e a integridade das pessoas mais vulneráveis desse estado”, destacou André Zarpelon, que integra a direção pela primeira vez.

A Corsan é responsável pelos serviços de saneamento em 317 municípios abrangendo cerca de seis milhões de residências. São aproximadamente 5700 servidores ativos, principal base do Sindiágua/RS, além de 4200 aposentados da estatal.

Categoria combativa

Presente na posse, o presidente da CUT, Amarildo Cenci, destacou os desafios no setor do saneamento frente ao assédio sobre a água pública em todo o mundo. “O direito à água é um direito humano e não pode estar nas mãos de especuladores como se fosse uma mercadoria”, ressaltou o sindicalista.

O Sindiágua/RS é filiado à central desde a sua criação em 1985. “Se tem uma categoria que tem dado exemplo pelas ruas para defender o que acredita é a base do Sindiágua”, lembrou. Durante 2022, milhares de pessoas participaram de atos na capital para alertar sobre a importância de manter o sistema de saneamento público. “É um sindicato e uma base aguerrida e sintonizada com a luta que não é apenas da sua entidade, mas de todo o povo. Estamos somados nestas pautas fundamentais para o futuro do Rio Grande do Sul”, completou Cenci, destacando o novo momento do país com a posse do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Em seu primeiro dia de governo, o presidente suspendeu o processo de desestatização da Petrobras e de outras empresas públicas como Correios, Empresa Brasil de Comunicação (EBC), Dataprev, Nuclebrás Equipamentos Pesados (Nuclep), Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro), armazéns e imóveis de domínio da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e a Pré-Sal Petróleo (PPSA).

 

Diretoria Executiva

Arilson Wünsch – Presidente

Cleverson Vinicius Giordani
Carlos Alberto Perinazzo
Rogério Dos Santos Ferraz
Karina Mustafa Rizeq
Diego Cibils
Franciele Silveira De Menezes
Carlos Eduardo Neumann Passos
Giovane Da Silva
Vera Regina Ferreira De Souza
Angela Deniz Camara Farias
André Zarpelon Da Silva
Sérgio Ricardo D’avila Krug
Natalino Da Silva
Luis Carlos Martins

 

Diretoria de Base

Mario De Camargo Ribeiro
Berenice Raquiel Zingler
Eliane Camilotti Sonza
Maxson Paz Raupp

Milton Rodrigo De Oliveira

Nazareno Caldas De Souza
Fábio Jean Da Silva Gonçalves
Cristiane Pederia Rodrigues
Diego Amaury Alves Acosta
Cristina Finamor Frota
Fernado Tretto
Rangel Danúbio Kurz
Maria Cristina Miranda Da Silveira
Franciele Facchini
Girlane Firmino De Souza

 

Conselho Fiscal – Titulares

Mirian Corrêa
Marcelo Luis Feltraco
Claudiomirl Vagner Da Silva

 

Conselho Fiscal – Suplentes

Elói Morini Ferraz
Claudia Otharan De Lemos
Leandro Soustruznik Aguilar

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 × 3 =