CALA A BOCA JÁ MORREU, BARBUTTI

Na sexta-feira passada, a direção da CORSAN divulgou uma comunicação a seus funcionários que se trata de uma intimidação, uma ameaça, destinada a tentar calar a boca de todos os nossos colegas  que estão lutando contra a entrega da companhia ao capital privado. Brandindo com alguns trechos de nosso Código de Ética, sempre respeitado por todos os trabalhadores da CORSAN, o objetivo da  direção da companhia é impedir o debate público, o esclarecimento da população do Estado, sobre os malefícios que advirão da privatização da CORSAN.

Mas como disse Felipe Neto, ao ser ameaçado para impedi-lo de expressar suas opiniões, Cala a Boca Já Morreu!

Ameaças não vão nos deter de fazer o debate público que o Governo do Estado quer proibir, inclusive com a aprovação da PEC 280, que retira do povo gaúcho o direito de decidir sobre o futuro da CORSAN. A população gaúcha deve ser esclarecida sobre a real situação da companhia, sobre sua capacidade de atingir as metas de saneamento, sobre as reais condições de trabalho em suas unidades, sobre a realidade dos pequenos municípios e do povo mais pobre no acesso à água e ao saneamento. E ninguém melhor que os trabalhadores da CORSAN para fazer este debate no Rio Grande do Sul. O Sindiágua vai denunciar essa ação da empresa ao Ministério Público, para que sejam tomadas as devidas providências legais.

Conflito de interesses é assumir o comando de uma empresa pública e mentir ao povo para entregá-la ao capital privado. Conflito de interesses é assumir o comando de uma empresa pública e sucateá-la para justificar sua venda.

O interesse dos  trabalhadores da CORSAN é o mesmo do povo do nosso Estado: água pública e saneamento universal. E lutaremos até o fim para realizar estes objetivos. Não nos calarão!

O Fórum em Defesa da Água e Saneamento,  29 de março de 2021

SINDIÁGUA/RS

SINTEC

SENGE

SINDICATO DOS ADMINISTRADORES

SINDICATO DOS JORNALISTAS

AAFCORSAN

ASCORSAN

AGERCO

ASTECOR

ASTEC

AECO

SINQUIRS

SINDARS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro × um =