Terça-feira é marcada por paralisação dos servidores da Corsan

Nesta terça-feira (10/08), as cidades das Regionais da Corsan amanheceram paralisadas no Rio Grande do Sul. Ainda que com um tempo chuvoso, os trabalhadores e trabalhadoras da Companhia paralisaram para realização do ato em defesa da estatal. Em função do projeto do governador Eduardo Leite de privatizar a Corsan às pressas contrariando sua promessa de campanha de não privatizar as estatais, servidores organizaram a paralisação para manifestar a contrariedade a decisão do Governador do Estado.

Além disso, o Governador protocolou, em regime de urgência, o Projeto de Lei que autoriza a venda da Corsan, sem nenhum diálogo com a sociedade. A manifestação tem como objetivo, chamar a atenção dos Deputados Estaduais, para que votem contra a privatização do saneamento. O ato iniciou na Sede da companhia e após, seguiu até a Praça da Matriz, onde está localizado o Palácio do Governo e a Assembleia Legislativa.

O Presidente do SINDIÁGUA/RS Arilson Wünsch, salientou a importância da participação da categoria na luta contra a privatização. “A manifestação é um ato de suma importância, uma ausência no trabalho para defender a manutenção dos empregos de toda uma categoria é melhor do que a perda total dele, tenho certeza que muitos que perderam seus postos para a chegada da inciativa privada, hoje, trocariam dias de trabalho para defender seu emprego. Poderão vir outras oportunidades, fique atento, fique de sobreaviso, pois não vamos terceirizar essa luta, precisamos estar unidos e fortes para combater o desmonte do governo. A Corsan é fundamental para o funcionamento do nosso estado” concluiu o Presidente.

A Companhia é responsável por 317 municípios e possui uma cobertura de 96,57% no saneamento. A previsão é atingir é atingir 99% até 2033 possuindo total condições cumprir as metas do Marco Legal do Saneamento. Com a privatização da Companhia, os municípios pequenos por não serem economicamente viáveis poderão ficar sem atendimento, pois não possuem atrativos para a iniciativa privada.

Entidades sindicais como: Sintec, CUT e CPERS, estiveram presentes na manifestação, o deputado Jeferson Fernandes também acompanhou o ato.

Após a manifestação os trabalhadores entregaram aos prefeitos documentos com dados técnicos da Corsan que apresentam os contrapontos da privatização.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três − 3 =