SINDIÁGUA/RS participa da 7º Marcha das Margaridas

Com a temática Reconstrução do Brasil e pelo Bem Viver,  mulheres de todo o país tomaram Brasília

Nos últimos dias 15 e 16 de agosto, o Sindiágua/RS representado pela Secretariada Juventude, Gênero, Raça ,LGBTQIA+ e Aposentados, Franciele Menezes e as integrantes da Comissão de Mulheres, Francielen do Nascimento e Rosmeri Menzel, participaram da 7º Marcha das Margaridas que ocorreu em Brasília. Mais de 150 mil mulheres floriram a Capital Federal e marcharam em direção a esplanada dos ministérios. Do pavilhão até a esplanada foi cerca de 6 km de caminhada.

Inspirada na luta de Margarida Maria Alves, mulher trabalhadora do campo, nordestina e líder sindical, a caminhada tem como proposta fazer entender que é preciso enfrentar as contradições de classe, transformar as relações entre os gêneros e entre as gerações, combatendo fortemente o preconceito e o patriarcado. Esse ano os Eixos Políticos para mobilização são os seguintes:

– Democracia participativa e soberania popular;

– Poder e participação política das mulheres;;

– Autodeterminação dos povos, com soberania alimentar, hídrica e energética;

– Democratização do acesso à terra e garantia dos direitos territoriais e dos maretórios;

– Vida saudável com agroecologia e segurança alimentar e nutricional;

– Direito de acesso e uso da biodiversidade, defesa dos bens comuns e proteção da natureza com justiça ambiental e climática;

– Autonomia econômica, inclusão produtiva, trabalho e renda;

– Educação pública não sexista e antirracista e direito à educação do e no campo;

– Saúde, previdência e assistência social pública, universal e solidária;

– Universalização do acesso à internet e inclusão digital;

– Vida livre de todas as formas de violência, sem racismo e sem sexismo;

– Autonomia e liberdade das mulheres sobre o seu corpo e a sua sexualidade.


A Marcha foi recebida na Esplanada dos Ministérios pelo Presidente Lula e pelas Ministras e Ministros que fizeram importantes anúncios em resposta as pautas da Marcha das Margaridas. Na oportunidade, o Presidente Lula fez a assinatura dos seguintes decretos:

– Instituição do Programa Quintais Produtivos para Mulheres Rurais;

– Decreto sobre seleção de famílias e retomada da reforma agrária;

– Instituição da Comissão de Enfrentamento à Violência no Campo;

– Instituição do Grupo de Trabalho Interministerial para o Plano Nacional de Juventude e Sucessão Rural;

– Instituição do Programa Nacional de Cidadania e Bem Viver para as Mulheres Rurais;

– Instituição do Pacto Nacional de prevenção aos feminicídios;

– Retomada da Política Nacional para os Trabalhadores Rurais Empregados;

– Retomada do programa Bolsa Verde, de apoio à conservação ambiental.


Durante a fala de encerramento, Lula ressaltou a importância da Marcha “Que bom estar de mãos dadas com tantas Margaridas na reconstrução do Brasil”.


De acordo com a Sec. Franciele Menezes, a Marcha é uma referência na vida das mulheres que participaram. “Com toda a certeza, essa Marcha foi o Marco para todas que puderam se fazer presente. A intensidade o amor, a força e a resistência da mulher brasileira continuará fazendo a diferença”. Conclui.

O evento contou com a presença das Ministras: Cida Gonçalves, Anielle Franco, Margareth Menezes, além de outras Ministras e Ministros, Deputadas federais e estaduais, Secretarias, Vereadoras e outras personalidades e lideranças feministas.

História

Margarida Maria Alves foi morta porta da casa, em 12 de agosto de 1983, por lutar pelo direito à terra, pela reforma agrária, defender os direitos trabalhistas e uma vida digna às trabalhadoras e trabalhadores rurais. Seu nome se tornou símbolo nacional de força e coragem e horado pelas trabalhadoras e trabalhadores do campo da floresta e das águas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

18 − 15 =