SINDIÁGUA/RS participa Reunião do Coletivo Nacional de Saneamento

Processos de privatização e lançamento de Comitê Popular reforçam a luta dos trabalhadores

 

O  SINDIÁGUA/RS  participou nessa terça-feira 05 de julho, da reunião do Coletivo Nacional de Saneamento, realizada na sede de CUT no Distrito Federal. Na pauta, foram abordados temas  fundamentais que afetam diretamente os trabalhores e trabalhadoras do setor do saneamento,  como  os processos de privatização das estatais e as regionalizações.

Além disso, um dos principais objetivos  da reunião foi o lançamento do Comitê Popular de Luta dos (as) Trabalhadores (as) do Saneamento. Os Comitês Populares de Luta são instrumentos que visam mobilizar os trabalhahores e trabalhadoras  para que o país retome o  rumo de desenvolvimento.

O plano é que  no Comitê dos trabalhadores(as), do saneamento seja construída uma grande agenda de mobilização e organização permanente em defesa do saneamento  público universal de qualidade, além da defesa dos direitos sociais e trabalhistas.

O presidente Arilson Wünsch, esteve representando a entidade, e salienta a importância desta união para a defesa do saneamento  e a água pública.

Arilson argumenta que esta luta depende não só de uma categoria e sim de toda a classe trabalhadora. “Todos os estados do país estão enfrentando a mesma luta, que é esta  tentativa da privatização do saneamento, os governos atuais estão impondo  essa condição e tudo que alegam para tentar privatizar não condiz   com a veracidade dos fatos, os números não mentem  e isso nós podemos provar para a sociedade, é preciso mudar os rumos de nosso país e para isso acontecer  as eleiçõs desse ano são fundamentais “ ressalta  o presidente.

Estiveram presentes dirigentes sindicais de Sergipe, São Paulo, Espírito Santo, Amapá, Goiás, Pará, Rio Grande do Norte, Alagoas, Bahia, Minas Gerais, Piauí.

 

Campanha SEDE ZERO

Ocorreu nesta quarta-feira (06),  uma audiência pública no auditório Nereu Ramos da Câmara de Deputados em Brasília,  para lançar a Campanha *Sede Zero* e o projeto de Lei do Direito à Água. A campanha é oganizada pelo Observatório Nacional dos Direitos à Água e ao Saneamento (ONDAS) que conta com diversas entidades signatárias.

Ainda na audiência pública foram apresentadas e discutidas propostas que alteram a Lei Nacional de Saneamento, Lei11.445/07, para que seja inseridas ações aos Direitos Humanos à Água e ao Esgotamento Sanitário.

Além disso, denúncias de as situações de escassez, com práticas de racionamento e rodizio de abastecimento. O padre Júlio Lancelotti mencionou  que os moradores de rua não tem direito ao saneamento e a água potavel. “Quando pedem pedem um copo d’água as pessoas jogam água na cara deles, um verdadeiro desrepeito com o ser humano,” salientou.

Representando o SINDIÁGUA/RS o presidente da entidade,Arilson Wünsch, ressaltou a importância da campanha para os direitos humanos e para a sociedade. “O capitalismo nos deixou esse legado de pobreza no mundo e principalmente no Brasil, onde as pessoas apenas sonham em ter água, é isso que nós defendemos, sabemos da nossa responsabilidade, queremos água nas torneiras e   água no copo”, aponta.

O Sindiágua/RS assinou o manifesto e estará engajado na Campanha Sede Zero, lutando pela distribuição de renda e uma vida mais justa para a sociedade. O presidente agradeceu as demais entidades, parlamentares presentes, ao Deputado Federal pelo RS Elvino Bohn Gass,  e a Deputada Fernanda Melchiona pela suas  trajetórias na defesa da água pública.

 

Também estiveram na audiência representantes   de movimentos sociais, é uma iniciativa Comissão de Desenvolvimento Urbano, Comissão de Integração Nacional, Des. Regional e Amazônia, Comissão de Legislação Participativa, Comissão de Direitos Humanos e Minorias e Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público.

#SindiáguaNaLuta #SaneamentoPúblico
#PrivatizarNÃO

Fotos: Divulgação FNU/Divulgação Câmara dos Deputados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quinze + 14 =