33 candidatos do RS votaram a favor do fim do plebiscito sobre privatizações

Um total de 33 dos 35 deputados e deputadas estaduais, que aprovaram o fim da obrigatoriedade de plebiscito sobre a privatização do Banrisul, da Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan) e do Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação do Rio Grande do Sul (Procergs), são candidatos nas eleições do próximo domingo, dia 2 de outubro.

Um concorre a vice-governador, 6 disputam uma vaga para deputado federal e 26 tentam a reeleição.

Tais parlamentares retiraram o direito do povo gaúcho de decidir sobre o destino dessas três empresas públicas, rasgaram a Constituição Estadual e votaram a favor da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) nº 280/2019, apresentada pelo deputado Sérgio Turra (PP), da base aliada do ex-governador Eduardo Leite (PSDB), que renunciou em março, fracassou na tentativa de ser candidato a presidente e agora concorre outra vez ao governo do Estado.

A votação ocorreu em segundo turno no dia 1º de junho de 2021. As bancadas do PT, PDT e Psol foram contrárias, além de cinco deputados de partidos que apoiam o governo tucano.

O levantamento foi realizado pela CUT-RS junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e à Assembleia Legislativa, com o apoio do Sindicato dos Bancários de Porto Alegre e do Sindiágua-RS.

Confira abaixo o nome e o partido de cada candidato e candidata.

Eduardo Leite mentiu na campanha eleitoral

O fim do plebiscito foi apoiado por Eduardo Leite, que mentiu na campanha eleitoral de 2018, pois havia prometido diálogo e que manteria a Corsan e o Banrisul como empresas públicas. Ele, no entanto, aplicou a mesma política nefasta de retirada de direitos e privatização do presidente Jair Bolsonaro (PL), em quem votou e até hoje não se arrependeu.

Com a aprovação da PEC 280, a população não precisa mais ser ouvida, caso o governo do Estado queira privatizar o Banrisul, a Corsan e a Procergs. Assim, bastam somente 28 votos favoráveis no plenário da Assembleia, ou seja, maioria simples.

Corsan

O processo de privatização da Corsan, que garante água potável para 317 municípios gaúchos, já foi encaminhado por Eduardo Leite.

Os deputados governistas aprovaram o projeto de lei (PL 211/2021), em 31 de agosto de 2021. As bancadas do PT, PDT e PSol votaram contra o projeto, junto com seis parlamentares de outros partidos.

O governo entreguista mudou o modelo de privatização, após denúncias de irregularidades, e pretende efetuar o leilão da Corsan em dezembro, depois das eleições. Porém, o Sindiágua-RS, junto com os funcionários, as funcionárias e o apoio da CUT-RS e da sociedade gaúcha, continuam firmes na resistência e na luta, impedido a venda da empresa pública. Água é um bem de todos. É saúde. Não é mercadoria!

Banrisul

A venda do Banrisul, que completou 94 anos de história, representaria uma perda incalculável para o Estado. Em 117 dos 497 municípios gaúchos é o único banco, levando atendimento à população e crédito para micro, pequenas e médias empresas, agricultura familiar e prefeituras, dentre outros segmentos.

Além disso, segundo o SindBancários, o Banrisul é altamente lucrativo, o que garante milhões de reais todos os anos no caixa único do Estado e que são investidos na saúde, na educação e no desenvolvimento do Rio Grande.

Já imaginou o Estado sem o Banrisul? A partir do ano que vem, isso é possível. Dependerá tão somente de uma decisão do futuro governador do estado e de 28 votos favoráveis na Assembleia Legislativa.

Quem votou, não volta

“Estamos refrescando a memória dos trabalhadores e das trabalhadoras, a fim de que escolham candidatos comprometidos com a defesa dos direitos sociais e trabalhistas e do patrimônio público, evitando a eleição de políticos aliados às elites dominantes”, afirma o presidente da CUT-RS.

“O povo gaúcho tem que marcar na paleta e saber os nomes dos deputados e seus partidos que votaram contra a classe trabalhadora. Quem votou, não volta”, ressalta.

Ele alerta que muitos candidatos de direita e de centro-direita prometem na campanha que irão defender os interesses dos trabalhadores, mas é apenas uma jogada eleitoreira para ganhar votos. Eleitos, defendem os projetos dos grandes empresários.

“Quem paga a conta das privatizações é a população com tarifas mais caras e serviços precários”, explica Amarildo.

“Temos que separar o joio do trigo”, defende o dirigente da CUT-RS.

 

Veja quem são os deputados que votaram a favor do fim do plebiscito sobre privatizações e são candidatos nas eleições

Candidato a vice-governador

Gabriel Souza (MDB) – concorre na chapa de Eduardo Leite.

Candidatos a deputado federal

Sérgio Turra (PP)
Vilmar Lourenço (PP)
Tenente Coronel Zucco (Republicanos)
Fábio Ostermann (Novo)
Eric Lins (PL)
Any Ortiz (Cidadania)

Candidatos a deputado estadual

Mateus Wesp (PSDB)
Neri, o Carteiro (PSDB)
Pedro Pereira (PSDB)
Rodrigo Maroni (PSDB)
Zilá Breitenbach (PSDB)

Beto Fantinel (MDB)
Carlos Búrigo (MDB)
Clair Kuhn (MDB)
Gilberto Capoani (MDB)
Vilmar Zanchin (MDB)

Adolfo Brito (PP)
Ernani Polo (PP)
Frederico Antunes (PP)
Issur Koch (PP)
Marcus Vinícius (PP)

Aloísio Classmann (União Brasil)
Dirceu Franciscon (União Brasil)

Kelly Moraes (PL)
Paparico Bacchi (PL)

Elizandro Sabino (PTB)

Fran Somensi (Republicanos)
Sergio Peres (Republicanos)

Giuseppe Riesgo (Novo)

Gaúcho da Geral (PSD)

Faisal Karam (Podemos)

Dalciso Oliveira (PSB)

 

Foto de abertura: Reprodução

 

Fonte: CUT-RS com SindBancários e Sindiágua-RS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × quatro =