Sindiágua/RS leva para conhecimento do mundo as irregularidades da tentativa de privatização da CORSAN


Aconteceu em Genebra (Suíça) o 31º Congresso Mundial da Internacional do Serviço Público – ISP. O Setor de Saneamento do Brasil foi representado pela Federação Nacional dos Urbanitários (FNU), entidade em que o Presidente do SINDIÁGUA/RS, Arilson Wünsch, é o Secretário de Finanças e Administração.

Ao final do evento, a federação sindical global (ISP) que reúne mais de 700 entidades sindicais e abrange mais de 30 milhões de trabalhadores e trabalhadoras em 154 países, assinou uma carta em oposição às privatizações das empresas estatais de saneamento e energia elétrica.

A iniciativa de apresentar ao ISP um plano de ação para estabelecer uma organização inédita e manifestos contrários às privatizações no Brasil foi feita pelos representantes da Federação no congresso.

Na carta, os representantes destacaram que tem acompanhado de perto as repercussões das privatizações em andamento no Brasil e levam as vozes dos milhares de trabalhadores e trabalhadoras prejudicados (as) por esses processos às entidades como a Organização Nações Unidas (ONU), a Organização Internacional do Trabalho (OIT), Organização Mundial da Saúde (OMS) e outras organizações regionais e globais. Além disso, no documento também constam alertas sobre a privatização de elementos essenciais ao ser humano como água e energia. Há também um relato sobre as irregularidades da privatização da Corsan.

O presidente Arilson Wünsch, destacou a importância deste evento a nível mundial, pois possibilita que a pauta da privatização da Corsan seja conhecida mundialmente.

Disputaremos essa privatização por muito tempo, e agora o mundo inteiro tem conhecimento dos casos de privatização no país, especialmente como foi e como está sendo no Rio Grande do Sul, encabeçada pelo governador Eduardo Leite. A aprovação desse repúdio por 154 países eleva nossa luta e nos dá fôlego para sempre continuar”, ressaltou o presidente.

Arilson ainda complementa que este documento será entregue também a todos os órgãos de fiscalização e controle público do Brasil, como Tribunais de Justiça, MPs, Tribunais de Contas, Legislativos (Federal, estaduais e municipais), bem como aos Executivos dessas mesmas esferas, além da precarização dos direitos dos trabalhadores que será encaminhado para a OIT e ONU.

Leia a íntegra do documento produzido pelo Congresso da ISP:

https://wordpress-direta.s3.sa-east-1.amazonaws.com/sites/1204/wp-content/uploads/2023/10/19151452/ISP-FNU-Brasil-.pdf

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois + 14 =