SINDIÁGUA/RS participa de audiência com Ipe Saúde, Corsan e governo do estado em busca de soluções para o plano de saúde

Na tarde desta segunda-feira (29), ocorreu no Tribunal Regional do Trabalho (TRT4), uma audiência de conciliação entre Ipe Saúde, Governo do Estado e Aegea, com o intuito de encontrar uma solução definitiva para a situação do plano de saúde dos Aposentados da Corsan.

Uma decisão judicial anterior determinava que o IPERGS deveria resolver a situação mediante a quitação dos boletos para os aposentados. No entanto, essa determinação não foi cumprida, gerando insegurança entre os participantes do plano, que agora temem a suspensão do atendimento.

Vale ressaltar que, por orientação da Procuradoria-Geral do Estado (PGE), o IPERGS optou por não participar de uma audiência anterior. Esse posicionamento da PGE pode ter implicações significativas no desenrolar do caso, e a ausência do IPERGS pode influenciar diretamente nas discussões e possíveis soluções propostas durante esse processo.

Na audiência realizada hoje, os representantes do Ipe Saúde anunciaram que buscaram apoio técnico junto à PROCERGS, na tentativa de encontrar uma solução para a situação dos boletos em tempo hábil. A entidade solicitou um prazo de sete dias úteis, a contar a partir de hoje, para a resolução, especialmente no que diz respeito aos boletos de janeiro de 2024.

O Secretário-Geral, Vinicius Giordani, classifica a decisão de hoje como positiva e salienta que a juíza determinou que nenhum aposentado fique sem atendimento pelo IPERGS enquanto esta situação esteja em curso. Ou seja, o atendimento pelo IPE está garantido.

“Se existe um responsável por esta situação, é o Governador Eduardo Leite. Não fosse o CPF dele, este pesadelo não estaria sendo vivenciado por mais de duas mil famílias. Ele teve capacidade de mudar a Constituição Estadual e retirar o direito da população gaúcha de opinar através de plebisicito, sobre o destino de empresas estatais. Agora querem utilizar a desculpa que a lei que regulamenta o IPERGS, impede uma solução adequada. Vamos exigir o mesmo emprenho do governador para adequar a lei, pois trata-se de uma questão de sobrevivência de pessoas. Nós alertamos que isso aconteceria, mas o governador e sua base de deputados na Assembleia Legislativa ignoraram o fato, demonstrando claro descaso com as vidas envolvidas”. Destacou Giordani.

O secretário enfatizou que, em uma conversa com o presidente do Sindiágua/RS, Arilson Wünsch, ficou decidido que o sindicato retomará as iniciativas de diálogo com o Governo. Neste contexto, é o Governo que responde pelo IPE Saúde. A retomada das negociações entre o sindicato e Estado sugere uma abordagem cooperativa na busca por soluções para a situação do plano de saúde, indicando um esforço conjunto para resolver os problemas enfrentados pelos beneficiários.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

11 + 3 =