Em reunião no BNDES, urbanitários discutem abordagens da instituição nos estudos de viabilidade das privatizações no saneamento

Representantes dos urbanitários estiveram reunidos, nesta quarta-feira (15/3), com a assessoria técnica da Diretoria de Planejamento e Estruturação de Projetos do BNDES, comandada por Nelson Barbosa.

Na reunião, na sede do banco no Rio de Janeiro(RJ), os dirigentes sindicais solicitaram que a instituição não realizasse mais estudos de viabilidade de privatização de empresas públicas de saneamento, pois na concepção das entidades, e dos trabalhadores da área, as privatizações não servem para que as políticas sociais prometidas pelo Governo atual sejam alcançadas, bem como defendem que a água é um direito humano fundamental e não combinam com o lucro que as empresas privadas buscam em cima desse bem que é o mais importante para a vida.

Arilson Wunsch. presidente do Sindiágua-RS e dirigente da FNU, explica que os urbanitários também solicitaram que o Banco seja um indutor de desenvolvimento social, e não um patrocinador de privatizações como estava acontecendo no governo passado, onde a instituição atuava diretamente como Consultor e financiador de privatizações, caso da Corsan no Rio Grande do Sul. “Salientamos que o sistema de Outorgas deve ser revisto, na nossa visão deveria acontecer a extinção desse modelo, e caso aconteça, deveria ser um dinheiro utilizado somente para o desenvolvimento do Saneamento no município”, acrescentou Arilson.

Os trabalhadores ainda pediram que o banco e o Governo disponibilizem linhas de crédito para empresas públicas de saneamento, estaduais e municipais.

O resultado do encontro foi bastante promissor com a informação dada pelos técnicos do banco que, a partir agora, o BNDES passa a ter nova diretriz nas abordagens sobre as privatizações.

O BNDES, até então, era o responsável por estudos técnicos, em parcerias firmadas com governos estaduais e municípios, para apresentar a avaliação das empresas públicas que eram colocadas à venda em leilão, passando ao setor privado.

Participaram da reunião, os sindicalistas:

. Arilson Wunsch – presidente do Sindiágua-RS e dirigente da FNU;

. Sérgio Sá – dirigente do Sindisan-SE;

. Eduardo Pereira de Oliveira – presidente do Sindágua-MG;

. Lucas Tonaco – diretor de Comunicação do Sindágua-MG e dirigente da FNU.

Também estiveram presentes:

. Rodrigo Fernando Meneses de Oliveira – Engenheiro Civil e Assessor de Planejamento e Gestão Empresarial da Companhia de Saneamento de Sergipe /DESO;

. Raimundo José Cardoso Filho – Técnico Industrial Sênior da Companhia de Saneamento de Sergipe /DESO.

Texto  e fotos: FNU

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

16 − nove =